quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Sombras

Encontra-se a sombra a vagear perto de tudo, a sombra sem querer largar, a velha sombra que eu já tão bem conheci escondida por entre mares de luz, para que ninguem a veja, para que ninguem a note. A sombra que já tantas vezes me fez desaparecer mas que desta vez teima contra a minha logica, esta sombra não está a desistir de tirar aquilo que quer, e agora, eu tou a pensar em deixa-la levar tudo aquilo que quer, pensar em desaparecer outra vez, em entrar novamente dentro da grande floresta que é a alma e deixar novamente de ser o "eu" que tanto me esforço por ser.

Não sei se aguento mais, não sei se vou continuar a ter paciencia para conseguir aguentar o tudo de todos. Sinto falta da chuva na cara, do ar gelado a entrar nos pulmões aquando da chegada ao cume de uma pequena montanha, sinto a vontade de novamente caminhar por entre arvores, por entre escuridão, por entre aquele silencio do nada, aquele silencio perfeito da noite assombrada de uma serra, onde nada vivo te vem perturbar, onde a propria luz tem medo de entrar.

Sinto falta de poder ficar incluido na escuridão, sem nenhuma luz para dar, de poder esconder-me por entre a bruma matinal, de poder andar no meio do mato, do chegar ao topo e respirar fundo enquanto vejo um nascer do sol perfeito.

E sinto-me a ceder, sinto a vontade de me deixar ir e penso que se calhar está na altura de desaparecer um pouco, não vou poder ir totalmente desta vez, não posso largar tudo e todos para voltar a ser eu, mas preciso desesperadamente de me voltar a encontrar, preciso desesperadamente de tomar uma decisão, preciso da montanha e do mar... preciso de sentir o mar gelado da noite na minha pele sem saber o que acontece ou o que está por baixo.

Acho que tenho que voltar para o que era antes, tenho que voltar a subir montanhas e a mergulhar no mar gelado apenas para poder ver outra vez o quem, o quando e o como.

Alea Iacta Est.

1 comentário:

Anónimo disse...

Remember those moments driving in your brother's car? REmember all the times we talked and spent nights just listening to music and waiting for the sun to rise? Remember all the stuff we promised to each other, how we shall never let the other one fall, and how we have honor and pride but still we are modest enough to admit we need each other? no one shall ever defeat us, because together we are dinamyte. we are in the highway to hell brother, and we are not looking back, but guess what? We are together.
Teu Stitch